Sobre

Todos os anos, há muito tempo, eu faço como todo mundo e listo uma quantidade de coisas que quero que aconteçam. Já coloquei metas numéricas, novos hábitos, comportamentos, enfim, uma quantidade imensa de ideias, em cima das quais vou trabalhando.

E como (quase) todo mundo, isso me motiva durante um tempo, mas também me perco muito pelo caminho, me distraio com as emergências da vida, e com o meu comportamento usual, a minha zona de conforto. Para terminar o ano diferente de como iniciara, mas jamais, como havia projetado.

Nesse ano, combinei comigo mesma que precisava fazer mais, e planejar menos. Precisava sair um pouco do meu lugar de ficar na teoria alterando as coisas, e procurando sistemas, e ir mais para a prática. Esperar menos as condições ideais para começar alguma coisa, e fazer o melhor possível nas condições reais.

Feito é melhor que perfeito – esse seria o lema, e não por acaso, o nome que escolhi para esse blogue. Para poder falar sobre como tiraria as resoluções de ano novo (e os planos de vida) da cabeça, do mundo das ideias, para traze-las ao meu mundo real. Pensei em metas, em exercícios, mas fundamentalmente, pensei em nunca perder de vista que o objetivo desse ano é esse – fazer mais e sonhar menos.

E o que eu quero fazer mais? Bom, acho que o que todo mundo quer: aproveitar melhor meu tempo, meu dinheiro, comer melhor, viajar melhor, dormir melhor, ter uma saúde melhor, ler, escrever, criar, economizar… Em cima disso, cada pessoa tem as suas próprias ideias, mas ao fim e ao cabo, todo mundo quer viver o melhor possível.

Não vai ser fácil. Mas estar onde estou, e ser quem eu sou também não é! Se eu conseguir me aproximar mais da pessoa que quero me tornar, já estarei melhor que hoje, não é mesmo?