Receita de caldo de ossobuco – para sua imunidade agradecer!

 

 

IMG_8151Em minha família, sempre que alguém adoece ou se opera, minha tia prepara uma canja de galinha com muito alho, várias partes de galinha, salsinha e arroz. Acredito que a maioria das famílias faz o mesmo.

Nessas minhas intensas incursões em consultórios médicos e de nutricionistas, desde que passei a me consultar com profissionais da vertente “paleo-lowcarb” (se alguém tiver curiosidade, fui paciente da Nanda Muller e da Djulye), sempre ouvi intensas recomendações aos caldos de ossos, o brodo. No protocolo da Djulye, inclusive, tinha uma recomendação periódica da ingestão dos caldos!

Sempre utilizo como base as receitas do site da Pat Feldman. Tentei achar as receitas de caldos, mas me parece que ela os retirou de lá – provavelmente, porque essas receitas agora são um produto, vendido em seus livros e também em potes. Para minha sorte, já sou letrada nas artes de caldos há anos, e decorei o mecanismo há muito tempo, não precisando de receita. É muito fácil de fazer caldo de carne, e pode levar o tempo que você tiver – porém tenha em mente que, quanto mais lento o cozimento, melhor.

CALDO DE OSSOBUCO (a base)

1 ossobuco por pessoa

água o suficiente para cobrir o ossobuco

ervas secas da sua preferência (gosto de usar louro, alecrim, e ervas de Provence)

Basicamente, só cobrir os ossos com água, esperar ferver, e aí, adicionadas as ervas, abaixar o fogo e deixar cozinhar por muito tempo. Tipo, pelo menos 1 hora por ossobuco. Você irá ver a água reduzir um tanto, escurecer e adquirir um tom dourado, bem como verá bastante gordura no caldo. Desligue, deixe esfriar em temperatura ambiente – nesse caso, verá o colágeno, e a gordura se separarem. A gordura que se solidifica quando esfria, é a gordura saturada que não faz tão bem comer. Já o colágeno, é maravilhoso, entrega muita saúde!

Com esse caldo pronto, você pode congelar para base de receitas futuras, como risotto, sopas, até um simples arroz branco. Ou beber assim mesmo, temperando com sal, ervas frescas, pimentas (era assim que eu fazia durante o protocolo da Djulye).

Esse da foto, foi feito ontem com um ossobuco que eu havia congelado tempos atrás: piquei a carne, adicionei alho, cebola, cenoura, abóbora e chuchu em cubos. Quando ficou pronto, adicionei sal e temperos, e na hora de comer, amassei as abóboras com o garfo para dar uma textura mais grossinha à sopa. Meu intuito era congelar e ter muitas porções para a Thais do futuro, porém, ficou tão deliciosa que já terminou. Hoje vou comprar mais ossobuco e fazer outra!

Quando fizer caldo de galinha, posto aqui a receita, pois o mecanismo é diferente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s