Ceviche de Tilápia – e como comer peixe cru em segurança!

8c6edc06-cf3c-45f1-9498-bac6f19ca659
Este, ligeiramente diferente da receita abaixo: com cebolinha verde, tomates sem semente e pimenta rosa em grãos

Faltam aproximadamente 45 dias para minha próxima viagem de férias (Lima – Peru, aceito e preciso de dicas), e eu calhei de ontem poder entrar no clima, comendo um ceviche de tilápia.

Quando estive no Chile, em 2014, comi uma quantidade abissal de ceviches deliciosos, e adorei. Ceviche é sem dúvida um de meus pratos prediletos, se pudesse comeria sempre, mas tenho certas ressalvas com peixe cru: prefiro comer aqueles de total conhecimento da procedência, ou seja, aqueles que eu mesma comprei em peixarias confiáveis.

Inclusive, para aqueles que gostam de comprar “peixe fresco” em feiras e mercados municipais (como é o de Florianópolis), sugiro desenvolver um efetivo relacionamento com uma única banca, para poder confiar nela. O fato daquela imensidão de peixes ficar exposto, apenas resfriado, é bastante perigoso para sua conservação e pode acarretar em intoxicações graves.

O mais correto, na realidade, é que o peixe recém pescado seja imediatamente levado ao congelador. O fato de congelar e descongelar mais de uma vez, ou mesmo de manter por longos períodos apenas resfriado, não oferece uma conservação segura para o consumo, especialmente cru. Em lugares assim, em que é impossível que toda a mercadoria ofertada seja vendida, é possível que hajam problemas, então… Evite os problemas.

Dito tudo isso, resolvi arriscar mesmo assim, descongelei uns filés de tilápia comprados a vácuo (um bom mecanismo de embalagem, que evita cristais de gelo, e melhora a segurança) como manda o figurino, ou seja: dentro da geladeira, de onde, quase 24h depois, ele ainda saiu quase congelado em alguns pontos. Perfeito para o manuseio em temperatura ambiente – eu gosto de um ceviche ligeiramente mais geladinho.

Quando você for fazer uma grande quantidade de peixe, não vacile: só tire o peixe da geladeira na hora de lidar com ele. Melhor ainda é mexer com o peixe num banho-maria gelado: coloque água gelada e cubos de gelo numa tigela, e em cima, o recipiente em que você efetivamente manipulará o peixe. Nada de peixe em cima da tábua de madeira esperando você picar as outras coisas! 

A tilápia é minha opção mais frequente por ter bastante oferta. Acho um peixe que tem uma fibra firme e delicada ao mesmo tempo, deixando assim o ceviche mais saboroso. Mas já comi de inúmeros pescados, e até, gostaria de saber outros peixes brancos para fazer.

CEVICHE DE TILÁPIA (para 2 pessoas)

200g de tilápia já em filés, descongelada e bem resfriada

suco de 1 limão taiti

1/2 cebola roxa em fatias finíssimas

1 pimenta dedo de moça fatiada, sem as sementes

2 galhos bem cheios de folha de coentro fresco

sal, azeite de oliva e raspas de limão siciliano a gosto

Corte o peixe em pedacinhos de cerca de 2cm. Imediatamente, coloque sobre ele o limão. Adicione os demais ingredientes, deixando as raspas de limão siciliano por último, talvez até para a hora de servir – ficam mais bonitas, mas também mais aromáticas.

Conserve o ceviche em geladeira, por até 12 horas, e sirva geladinho. Se come cru, acompanhado de uns nachos, ou do que apetecer (no dia em questão, eu só tinha bolachas de arroz com guacamole).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s