Receita de pastinha de berinjela – babaganoush

IMG_5258

Essa semana comprei berinjelas com a intenção de deixar uma caponata pronta para a semana. Sucesso absoluto, comi a caponata em dois dias, e deixei estrategicamente um pedaço da berinjela de fora. Eu queria comer um pouco de babaganoush.

Conheci essa pastinha comendo num restaurante árabe e fiquei muito apaixonada: o sabor é bem forte, de um patê bem temperado, com alho e limão. A berinjela, sinceramente, se some ali naquele contexto, mas funciona ricamente como uma base para dar textura e ressaltar os outros sabores. De vez em quando, eu fazia em casa, do jeito que havia lido: assando a berinjela previamente no forno, depois triturando tudo.

Até que quase dois anos atrás, fui numa festinha de criança e tinha crudités com babaganoush (nota: meus filhos imaginários terão festinhas onde servirei patês com legumes aos convidados também), que tinha um sabor absurdamente melhor que a minha: era uma nota defumada, deliciosa, impressionante. Fiquei assediando a moça que fez a pastinha tentando descobrir qual era o ingrediente: se era páprika defumada, se era pimenta defumada, se era sal defumado… Ela ria, balançava a cabeça e me dizia os mesmos ingredientes que eu costumava colocar na minha.

O mistério se soluciona com a seguinte etapa adicional de preparo: ela chamuscou as berinjelas na boca do fogão, e por isso, tinha essa nota defumada que muda completamente o sabor da receita. No caso dela, como a quantidade de babaganoush era grande, me parece que após tostar um pouco no fogão, ainda terminou de assar as berinjelas no forno. No meu caso de ontem, só tostei mesmo e ficou cozida por dentro, pois era uma quantidade ínfima.

Mas vale a dica que na real, acho mais interessante para decidir se precisa ou não fazer mais algum cozimento: a berinjela, depois de cozida, fica com uns pontos de cor meio esverdeada (tipo o verde do abacate), e solta bastante água. Eu não tenho microondas em casa, por opção, mas acredito que pode ser uma forma de acelerar este preparo, que alguém pode testar e depois me contar como foi.

Por fim: não compre berinjela murcha e fosca. Compre aquelas de casca lisinha e brilhante. Eu, obviamente, só compro orgânica, mas sei que essa não é a realidade geral do país. Então, neste caso, recomendo descascar uns 70% da quantidade utilizada.

BABAGANOUSH 

500g de berinjela (sei a medida porque comprei uma bandeja – é o equivalente a duas berinjelas médias)

2 dentes gigantes de alho

1 colher de sopa de tahine (pasta que se compra em casas de produtos naturais ou étnicos – se não achar, faça mesmo assim que ficará bom, mas com textura diferente)

suco de 1 limão

1 colherada de azeite de oliva (o melhor que você tiver)

sal e pimentas a gosto (recomendo, para ficar no clima árabe, usar pimenta branca, pimenta síria, um pouco de cominho, zaatar, etc – mas é opcional)

salsinha a gosto

MODO DE PREPARO:

Corte as berinjelas em rodelas grandes, 5cm de comprimento em média. Faça cortes ao redor dela: fure um pouco a casca e o miolo (mesmo se tiver descascado, faça vários cortezinhos ao redor). Chamusque os pedaços no fogão, por igual, virando para todos os lados ficarem bem queimadinhos. Leve para terminar de assar (no forno por uns 20min a fogo alto, na airfryer por uns 10min).

Assim que a berinjela estiver fria o suficiente para ser mexida, adicione o alho (espremido num espremedor), ralado ou picado em pedaços microscópicos. Misture bem, e com um garfo, vá despedaçando a berinjela, que já estará se desfazendo numa pasta pedaçuda. Alternativamente, use o mixer ou processador (não recomendo o liquidificador porque é pouco líquido, vai só sujar e não bater direito).

Adicione o tahine, o azeite, o limão e os temperos que escolheu além do sal. Misture apenas com uma colher (chega de bater!). Apenas na hora de servir, salpique a salsinha.

Se você quiser fazer mais quantidade, para oferecer numa festa por exemplo, duplique, triplique, respeitando as proporções.

Ele fica melhor com o passar dos dias, mas é altamente perecível. O máximo que já guardei na geladeira foi 5 dias. Congela super bem, no entanto. Caso você ganhe uma braçada de berinjelas e esteja sem saber o que fazer com isso.

Fica muito bom para comer com torradinhas, com os palitinhos de cenoura e pepino, e também para complementar algum sanduíche (no lugar da manteiga/maionese).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s