Como reconhecer um relacionamento abusivo? As minhas pistas foram essas:

 

Sabe como você transforma uma pessoa realizada pelos seus próprios atos em alguém inseguro? Dizendo a ela que a principal diferença entre vocês é que você sempre teve todas as oportunidades (e que com as suas oportunidades, qualquer um chegaria onde você chegou).

Sabe como você envolve uma pessoa que sabe se defender numa armadilha? Jamais confrontando-a abertamente. Sempre jogando o velho jogo do “preciso de você”.

Sabe como você faz uma pessoa inteligente permanecer numa situação completamente desfavorável a ela? Justificando todos os seus erros com “eu não estava respondendo por mim”.

Sabe como você isola uma pessoa que sempre viveu cercada de amigos, familiares e colegas que a respeitam? “Acho que Fulano não gosta de mim. Ciclana me olhou estranho. Beltrano me maltratou quando você estava fora da sala”.

Sabe como você cancela os planos de uma pessoa trabalhar, viajar ou se divertir? “Eu estou em crise, mas pode ir para suas coisas.”

Sabe como você fica presente, mesmo estando a milhares de quilômetros de distância? Desaparecendo por 8, 9, 12h seguidas. E diante de qualquer questionamento, responder: “você que está sempre fora! Achei que eu ia incomodar.”

Sabe como você confunde uma pessoa sobre o verdadeiro valor dela? “Eu conheço os homens, sei o que eles dizem quando nenhuma mulher está presente. Ninguém te respeita de verdade!”

Sabe como você destrói a estabilidade psicológica de alguém? Fingindo fazer uma pergunta inocente sobre seus amigos, sua forma de tratá-los, suas interações. E ao final, na sua explosão, dizendo: “você faz muito drama!”

Sabe como você esmaga o sentimento alheio? Dizendo “não posso te dizer nada, você só chora”. (MUITO IMPORTANTE VIRAR AS COSTAS E IR EMBORA A SEGUIR)

Sabe como você assusta uma pessoa que queira questionar qualquer comportamento ou atitude sua? “Aham, isso mesmo, eu sou horrível. Abominável. O que você está fazendo comigo mesmo, se eu sou um lixo? FODA-SE! Vou pensar só em mim! Cansei de ser trouxa!”

Sabe, gente?

É absolutamente possível e necessário sair dessa pessoa. Desse lugar. E começa com falar sobre isso. Mas se ainda for cedo para falar, comece ouvindo. Lendo. Relatos e exemplos, histórias, discussões.

Foi assim que eu comecei, alguns anos atrás: escrevendo no google “relacionamento abusivo” e lendo todas as ocorrências que apareciam. Não foi com uma leitura, nem com uma decisão que consegui.

Foi rompendo o silêncio, e compartilhando com as pessoas em quem confiava, que a luz foi sendo jogada naquele cômodo escuro que havia virado a minha mente.

Foi vivendo um dia de cada vez: redescobrindo a alegria de uma risada com uma série engraçada (Unbreakable Kimmy Schmitd, no meu caso). Lendo quase uma biblioteca inteira sobre codependência e até um pouco de autoajuda (Mulheres que Amam Demais e As 5 Linguagens do Amor, no meu caso). Experimentando sair de casa apenas em ambientes seguros (como a casa de amigos), para o dia absolutamente libertador de beber uma cerveja num estacionamento de foodtrucks (passei os dois dias subsequentes em casa, me refazendo de tamanha “aventura”). Trocando de chip de celular, para o novo número ser inacessível. Cozinhando diariamente, quase que 2h diárias de pé, completamente absorta na execução de algum prato extremamente complicado.

Meses se passaram. Passei a contabilizar os sorrisos sinceros do dia. Dou um valor diferente a uma risada hoje, sabem? Sei a falta que ela me fez.

Queria ter podido anotar, relatar, tem tanta coisa que eu (que possuo uma excelente memória) simplesmente nem consigo me lembrar. Mas estava ocupada demais: primeiro sofrendo, e depois me curando.

Mas me ocorreu que ontem, tinha muita gente feliz, muita foto de casal. E esse era um dia que me machucava por dentro anos atrás. Se você é uma pessoa machucada, não fique sozinha!

Eu estou aqui. Muito mais gente está aqui. E gente que a gente nem conhece, nos estende a mão de variadas formas. Esse texto é uma forma de estender a minha, junto de meus ouvidos, e da minha história, se você precisar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s